segunda-feira, 10 de março de 2008

La Buena Prensa


Vá lá que fazer críticas não é a coisa mais fácil deste mundo, mas a arte de bem falar de algo é, talvez, tarefa ainda mais difícil e delicada. Pois que o limiar entre o elogio sincero, reflexivo, e a rasgação de seda, no melhor estilo oba-oba, é tenuíssimo.

Entre os pesquisadores e os 'fazedores' do jornalismo, reina, absoluta, a crítica ferrenha à atividade. São raríssimas, quase inexistentes, as iniciativas de apontar e avaliar a excelência de trabalhos jornalísticos. A exceção, naturalmente, é formada pelos prêmios e concursos.

É por isso que pode causar estranhamento, num primeiro momento, um projeto intitulado La Buena Prensa, dica pinçada pelo blogueiro Marcelo Soares, do E Você com Isso?

O sítio, capitaneado pelos professores Miguel Ángel Jimeno e Txema Díaz Dorronsoro, da Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra/Espanha, tem como mote e justificativa a frase "porque todos os dias se publicam páginas de bom jornalismo".

Nas palavras dos blogueiros espanhóis, o La Buena Prensa surge "para centrarse en la excelencia —en la planificación, en la información, en el aspecto visual, en la titulación...—. Una excelencia que, quitando algún destello o algún '¿has visto qué gran reportaje publica hoy tal periódico?', apenas tiene 'salida' en el 'mercado'."

Em tempos de tantas pedras atiradas à Geni periodística, não custa embarcar no convite do blog que vem de terras de Espanha. "Lo bueno siempre aporta más, siempre edifica más", reforçam os professores de Navarra. No mínimo, uma espiada fará bem ao coração, e dará uma certa esperança de que o jornalismo (ainda) tem jeito. Imperdível aos, como eu, eternamente enamorados do periodismo.

3 comentários:

Marcelo disse...

Na verdade, eu acho que a maior parte da crítica que rola no Brasil é a mais fácil possível, porque prescinde da leitura. É tudo ruim de antemão - uma leitura rasa dos casos específicos só serve pra ilustrar o que o autor já pensava...

Adriana Santana disse...

é a velha história do "não li, não gostei", né? e concordo com o que vc disse em relação à leitura rasa. realmente, muita gente usa a crítica apenas para dar ênfase às teses que defende, sem se preocupar, de verdade, com o conteúdo que deveria analisar.

uma vez, num congresso, um estudante perguntou a um dos palestrantes se deveria ter esperança no bom jornalismo. aí uma criatura ao estilo "não li, não gostei" tascou a frase feita: "antes, meu querido, você precisa se perguntar que bom jornalismo é esse. porque isso não existe". e a cidadã fazia parte de um GT especialmente dedicado a pesquisar o jornalismo. há incongruência maior do que essa?

a educação doméstica me impediu de convidá-la a catar coquinhos nas paradisíacas praias da minha terra.

Gustavo Belarmino disse...

Olá Adriana, obrigado pelo comentário lá no Linguarudo! :-)
Os meninos são show, sou só um mediador... :)