quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O self, o ID, ou seja lá quem for


Nem self, nem id, ego, super-ego ou arquétipo individual. O desenho aí em cima é a melhor - na verdade, a mais otimista e benevolente - representação de mim (ou da persona que represento, sabe-se lá) que eu já visualizei. Obra e arte de Nina, minha primogênita, com toda a autoridade e competência que seus quatro anos recém completados a conferem.


(Não, obviamente este post nada tem a ver com a minha pesquisa. Mas esse desenho falou tão alto a mim, que não poderia deixar de registrar meu encantamento).

3 comentários:

Eduarda disse...

Eita que mãe é um bicho besta mesmo! Babe bem muito, adri! hehehe

Só uma curiosidade: o nome dela é Nina mesmo ou Nina é apelido carinhoso?

Beijos

Adriana Santana disse...

é nome mesmo, eduarda. um nome que já nasce carinhoso como apelido. beijo!

Eduarda disse...

Nome lindo!!!